sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Pastéis de massa folhada recheados com bacon e cogumelos


A venda de massas frescas prontas a cozinhar, tais como massa de filó, massa quebrada, massa folhada etc. Veio facilitar a confeção de variados petiscos que normalmente só se faziam de quando em quando, pelo tempo e trabalho que davam na sua elaboração.
Eu aderi á compra de massas já prontas a cozinhar.
Aqui vos apresento uns pastéis simples, saborosos e que não precisam de ser fritos.
Claro que podem utilizar outros ingredientes para rechearem a massa folhada. (façam-nos com aproveitamentos de carnes, peixes, legumes etc.)


1 embalagem de massa folhada
Cogumelos laminados q.b.
Bacon cortado em pequenos cubos q.b.
1 cebola cortada ás rodelas ou picada
Alho q.b.
Pimenta preta q.b.
Sal q.b. (tomar atenção porque o bacon já tem sal)
Azeite q.b.
Gema de ovo q.b. (para pincelar os pastéis)


Comece por fazer um refogado com azeite, cebola e alho. Junte o bacon e os cogumelos, deixe fritar um pouco e tempere a seu gosto até todos os ingredientes se conjugarem num bom salteado.
Desenrole a massa, estenda-a mais um pouco com a ajuda de um rolo para ficar mais fina.
Corte a massa em círculos, (eu utilizei uma taça de vidro) e recheie com o salteado de bacon e cogumelos o centro da massa. Pincele com a gema as bordas da massa antes de a dobrar para esta colar melhor e fazer o pastel. (pode fazer pressão com um garfo na união da massa para colar melhor)

Leve ao forno num tabuleiro forrado com papel anti aderente (utilize o que vem com a massa) mas antes pincele com gema de ovo para ficar mais brilhante.

Nota: eu utilizo muitas vezes os restos de massa que me sobra de quando forro tartes etc. Normalmente faço uma bola com a massa fresca, humidifico-a com umas gotas de água, enrolo-a em pelicula e guardo no frigorífico. (chego a congela-la)


Foto bay Mário Cerdeira

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Tiborna ou torricado? /Tiborna or torricado?

Tiborna ou torricado?
Vamos lá desvendar este mistério. Também é normal chamarem-lhe bruschetta, já que está na moda as palavras importadas.
No Alentejo chamam tiborna a pão normalmente quente regado com azeite e esfregado com alho ou polvilhado com açúcar. Era normal utilizarem pão acabado de cozer.
Quando eu era criança, tinha uma vizinha que cozia o pão de quinze em quinze dias e que normalmente fazia alguns pequenos pães (tipo bolas), para algumas crianças que apareciam na gulosice da tiborna. Ela tinha sempre o açucareiro com açúcar amarelo á mão, assim como uma garrafa de azeite. Mas também tinha o alho presente para nos fazer companhia com uma bela fatia de pão quente, barrado com alho e regado com azeite. Nas tardes da cozedura do pão era uma alegria…
O Torricado é típico da região do Ribatejo, tradicionalmente associado ao trabalho do campo, especialmente dos pescadores dos valados do Tejo e aos trabalhadores rurais da zona do Bairro.
Semelhante à bruschetta, consiste numa forma prática de cozinhar o pão, torrando-o e untando-o de azeite e alho. Apresenta-se habitualmente como acompanhamento de bacalhau grelhado, embora também seja usual como acompanhamento de sardinhas e carne.
 Bruschetta é um entrada italiana feita com pão tostado na grelha com azeite e depois esfregado com alho. Há diversas variações.

Torricado com sardinha frita
Uma dose

Uma fatia de pão (utilizei pão de sementes)
Azeite extra virgem q.b.
3 sardinhas fritas
1 tomate
Alho a gosto (utilizei alho em pó)

Comecei por aquecer o pão no forno, polvilhei com alho e reguei com azeite.
Dispus os ingredientes restantes sobre o pão e reguei novamente com um fio de azeite.
Também gosto de polvilhar com orégãos, mas neste caso não o fiz.

Poderei dizer que este prato foi para mim uma refeição completa e muito agradável.

Bom apetite.

Foto by Mário Cerdeira

Tiborna or torricado?

Let's unravel this mystery. It is also normal to call it bruschetta, since the imported words are fashionable.

In the Alentejo they call tiborna to bread usually hot watered with oil and rubbed with garlic or sprinkled with sugar. It was normal to use freshly baked bread.

When I was a child, I had a neighbor who baked the bread every fifteen days and usually made some small loaves of bread for some children who loved tiborna. She always had the sugar bowl with yellow sugar on hand, as well as a bottle of olive oil. But he also had garlic present to keep us company with a nice slice of hot bread, barred with garlic and watered with olive oil. In the afternoons of the baking of the bread it was a joy ...
The Torricado is typical of the Ribatejo region, traditionally associated with the work of the countryside, especially the fishermen of the Tagus valley and the rural workers of the neighborhood.
Similar to bruschetta, it consists of a practical way of cooking the bread, roasting it and smearing it with olive oil and garlic. It is usually presented as a sideto grilled cod, although it is also usual as a side to sardines and meat.

  Bruschetta is an Italian entrée made with toasted bread on the grill with olive oil and then wiped with garlic. There are several variations.


Torricado with fried sardines
one dose


A slice of bread (I used seed bread)
Extra virgin olive oil (as needed).
3 fried sardines
1 tomato
Garlic to taste (I used garlic powder)

I began by heating the bread in the oven, sprinkled with garlic and drizzled with olive oil.
I put the remaining ingredients on the bread and rinsed again with a strand of olive oil.
I also like to sprinkle with oregano, but in this case I did not.
I can say that this dish was for me a complete and very pleasant meal.

Enjoy your food.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Açorda de couve e ovo à alentejana


Hoje é dia do ovo. Porque não fazer uma receita em que o ovo esteja sempre presente.
Normalmente quando falamos de ovos lembramo-nos sempre de omeletes, ovos mexidos ou doces.
Quis vos deixar uma receita diferente em que o ovo é rei (não esquecendo o pão) e como vivo no Alentejo aqui vai uma receita bem tradicional em que normalmente o ovo está sempre presente.


Açorda de couve e ovo à alentejana

4 ovos
8 ou 12 fatias finas de pão
Couve q.b. (uma variedade a seu gosto)
Alho a seu gosto
Azeite virgem q.b.
Hortelã q.b.
Sal q.b.
Pimenta preta q.b.
1 colher (sopa) de vinagre branco
Água q.b.

Comece por cozer a couve em água temperada com sal, azeite e alho picado.
Entretanto escalfe os ovos em água temperada com o vinagre e uma pitada de sal.
Para escalfar os ovos deixe primeiro levantar fervura a água temperada, baixe o lume e acrescente os ovos, um de cada vez e deixe escalfar durante uns três minutos. Assim que estiverem escalfados, retire-os da água com uma espumadeira e introduza-os em água fria para pararem de cozer.
Entretanto faça uma pasta com alho esmagado e envolva com azeite. Barre o pão com a pasta de alho e azeite e coloque o pão num prato, cubra com caldo e couve, sobrepondo por ultimo um ovo com um raminho de hortelã. (fica mais ou menos como nas fotos)


Bom apetite………………………



sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Costeletas de borrego com laranja e café

Costeletas de borrego com laranja e café
4 doses


12 costeletas de borrego
1 colher de sopa de margarina
1 cubo de concentrado de carne
1 chávena (chá) de sumo de laranja
1 chávena (café) de café


Leve a fritar e a  alourar as costeletas na margarina com o cubo de caldo de carne.
Quando estiverem fritas a gosto, adicione o sumo de laranja e o café.

Deixe cozinhar e apurar. Acompanhe com batatas fritas, arroz e salada.

Foto bay Mário Cerdeira