quarta-feira, 19 de abril de 2017

Açorda (sopa) de tomate à moda do Alentejo

Há uns dias fui jantar ao restaurante rolo e foi servida uma sopa de tomate maravilhosa.
Tirei uma foto e aqui vos deixo a minha versão desta iguaria.

Açorda (sopa) de tomate à moda do Alentejo (4 doses)


Pão alentejano q.b.
500g de tomates bem maduros
2 cebolas
Alho a gosto
4 ovos frescos
Água q.b.
Azeite q.b.
1 ramo de coentros ou salsa picada
Sal q.b.
Pimenta preta a gosto (não obrigatório)




Comece por descascar as cebolas e os alhos. Pique tudo, refogue em azeite até a cebola ficar macia.
Entretanto, lave e corte o tomate em cubos. Junte o tomate ao refogado e deixe apurar até ficar cozinhado a seu gosto sem esquecer de temperar com sal e um pouco de pimenta preta. Se o tomate não ficar com líquido suficiente para a realização deste prato, acrescente um pouco de água. Quando a tomatada estiver cozinhada, adicione os ovos para escalfarem. (não deixe que os ovos cozam demais) 
Sirva a sopa em cima das fatias de pão e polvilhe com coentros picados.
Dica: Nesta açorda eu gosto de juntar ao tomate pimento também picado.
No Alentejo é normal acompanhar esta sopa com peixe frito.



Este prato tanto é conhecido como açorda, como sopa. Deriva da zona do nosso país.


quinta-feira, 13 de abril de 2017

Bola de carnes

Estamos na Páscoa e não poderá faltar na minha mesa uma bela bola de carnes.
O mesmo acontece a uma grande maioria dos portugueses.
Confeciono de varias maneiras este petisco, mas esta receita é uma das mais fáceis e que fica muito saborosa. Em alguns espaços comerciais vendem as aparas de charcutaria a um preço acessível mas de boa qualidade que poderá utilizar para confecionar a bola.


Bola de carne

1 medida de leite
1 medida de óleo
1 medida de ovos
3 medidas de farinha de trigo
Fermento de padeiro q.b.
Sal q.b.
Bacon q.b.
Chouriço de carne q.b.
Fiambre q.b.
Salsichas q.b.
Presunto q.b.


Nota: eu adiciono todas as carnes cozinhadas ou de fumeiro que tenho à mão.

Desfaça o fermento e o sal no leite morno.
Junte o óleo, os ovos e a farinha.
Bata com a ajuda de uma batedeira. (quando a massa começar a fazer bolhas é sinal de que está pronta)
Deixe ficar a levedar num lugar quente, tapada com um pano.
Quando a massa estiver leveda junte as carnes partidas aos cubinhos e envolva.
Leve ao forno médio em tabuleiro untado com manteiga e polvilhado com farinha.



Dica: aconselho que forre o tabuleiro com papel anti aderente (papel vegetal próprio para forno) e não precisara de untar o tabuleiro com a manteiga nem polvilhar com farinha.


terça-feira, 11 de abril de 2017

Bolo de abacaxi /ananas

A Páscoa já está à porta. Aproveito esta época para vos deixar uma receita bem doce e que está quase sempre presente nas mesas de todos nós que estivemos em África.



Bolo de abacaxi



1 abacaxi em rodelas (pode ser ananás enlatado)
400g de farinha de trigo
6 ovos
350g de açúcar
150g de manteiga ou margarina
2 colheres (chá) de fermento
200g de açúcar para fazer o caramelo


Faça o caramelo de açúcar e barre uma forma. (há quem goste de fazer este bolo num tabuleiro)
De seguida forre a forma com rodelas de abacaxi e reserve.
Bata a manteiga com o açúcar até ficar cremosa. Adicione os ovos um a um batendo sempre.
Junte a farinha (a farinha já deve estar misturada com o fermento) e continue mexendo.
Verta a massa na forma forrada de abacaxi e leve ao forno a uma temperatura média.


Nota: Este bolo leva cerca de 1 hora a cozer, mas se fizer em tabuleiro é um pouco mais rápida a cozedura.


quinta-feira, 6 de abril de 2017

O Peixe em Lisboa 2017 / o concurso da Patanisca




Na segunda feira, dia 3 de Abril, foi o dia do concurso da melhor patanisca de bacalhau em Lisboa. Este evento foi integrado no Peixe em Lisboa 2017. Foi a primeira vez que a patanisca foi a rainha de um concurso e nomeada como um pitéu da gastronomia de Lisboa. É conhecida em todo o nosso país, mas apresentada e cozinhada de maneiras diferentes de zona para zona.
Em Lisboa tem caraterísticas próprias não desfazendo de maneira nenhuma as pataniscas executadas noutras regiões do nosso país. Deem uma olhada á crónica do meu amigo e gastrónomo Virgílio Gomes e ficarão a entender o que eu digo.


Concorreram vários locais emblemáticos de Lisboa onde a patanisca é um pitéu.

Os vencedores foram:
1º. Prémio
A Casa do Bacalhau
Rua do Grilo, 54
Lisboa

2º. Prémio
O Poleiro
Rua de Entrecampos, 53 B
Lisboa

3º. Prémio
D’ Bacalhau
Rua da Pimenta, 45
Parque das Nações – Lisboa

No entanto os restantes finalistas também  têm e continuarão a ter boas pataniscas, aqui ficam identificados em lista, por ordem alfabética:

Bica do Sapato
Avenida Infante D. Henrique
Cais da Pedra, Santa Apolónia
Lisboa

Flores, Bairro Alto Hotel
Praça Camões, 2
Lisboa

Laurentina, o Rei do Bacalhau
Avenida Conde Valbom, 71
Lisboa

O Nobre
Avenida Sacadura Cabral, 53 B
Lisboa

Sem Dúvida
Avenida Elias Garcia, 1 A
Lisboa

Taberna da Rua das Flores
Rua das Flores, 103
Lisboa

Varanda de Lisboa, Hotel Mundial
Praça Martim Moniz, 2
Lisboa


Deixo alguns momentos deste concurso numas filmagens de fraca qualidade... não tenho mesmo jeito.
video



video



video

Algumas fotos do concurso presidido pela minha querida amiga Maria de Lurdes Modesto:













domingo, 2 de abril de 2017

O peixe em Lisboa /chefe Rodrigo Castelo


Ontem, dia 1 de Abril, tive a honra e o prazer de assistir a apresentação de dois showcookings no Peixe em Lisboa dos chefes Rodrigo Castelo e dos chefes  Sergi Arola e Milton Anes.




O chefe Rodrigo Castelo é natural de Santarém, desde cedo desenvolveu o gosto pela cozinha, influenciado pelo pai. Chegado o fim de uma etapa profissional na indústria farmacêutica, decidiu inverter o rumo da sua carreira, concretizando um sonho antigo: a 25 de Outubro de 2013 inaugurou o Taberna Ó Balcão, em Santarém.
O respeito pelos produtos do Ribatejo faz parte da sua forma de cozinhar. Tem desenvolvido um repertório gastronómico de inspiração tradicional e regional que, aliado ao investimento no capítulo da formação e à sua vontade de se superar, lhe permite estabelecer-se como um dos mais promissores cozinheiros portugueses da atualidade.

Já ganhou vários prémios como:

  • Revelação no Tejo Gourmet – 5.º Concurso de Iguarias e Vinhos do Tejo (2015)
  • Medalha de Ouro no 9.º Concurso de Gastronomia com Vinho do Porto (2015)
  • Restaurante recomendado no Guia Repsol (2015)
  • Melhor cozinha de Autor no Tejo Gourmet -6º Concurso de Iguarias e Vinhos do Tejo (2016)
  • Melhor Restaurante no Concurso da Revolta do Bacalhau em 2016
  • 2º melhor Restaurante de Mesa diária pelo Blog Mesa Marcada 2016

No Peixe em Lisboa apresentou-nos uma cozinha baseada no peixe do rio Tejo e na forma como é tradicionalmente cozinhado pelas gentes da beira rio.






Começou por nos mostrar um lagostim do rio, dando-lhe uma apresentação minimalista, mas rica em sabor com a transformação e aproveitamento da casca e da cabeça para intensificar o sabor do lagostim.


Depois foi a vez da fataça (tainha).
Baseando-se na tradicional miga de fataça, tão bem cozinhada pelos pescadores, transformou este prato numa mistura das migas com o tradicional torricado. Dava vontade de saltar da minha cadeira, pegar no garfo e assaltar a panela.



A saboga não podia faltar…

Então com base da saboga espetada e grelhada na lareira, acompanhada de batatas e temperada do molho das bruxas (molho à espanhola) … fiquei sem palavras.





Por ultimo, não podia faltar o sável.
Desta vez maravilhou-nos com um arroz de ovas de sável a acompanhar com o dito peixe frito que normalmente no Ribatejo é passado por farinha de milho antes de fritar.






Não vos deixo aqui as receitas do Rodrigo Castelo pois não seria capaz de as executar como ele, mas deixo umas fotos que tiramos…





quarta-feira, 29 de março de 2017

O PEIXE EM LISBOA 2017

Começa amanhã mais um Peixe em Lisboa

O Peixe em Lisboa, o mais emblemático evento gastronómico português dedicado à cozinha de mar, conta este ano com mais um desafio, desta vez lançado aos restaurantes lisboetas. O Concurso da Patanisca é a boa nova deste ano, que se junta aos outros dois concursos já conhecidos do público e integrados no Peixe em Lisboa - O Melhor Pastel de Natal e ADN Pasteleiro.

A celebrar a sua 10ª edição, de 30 de março a 09 de abril, o recém-reaberto Pavilhão Carlos Lopes será o palco das mais variadas provas e concursos, para além da presença de vários chefes nacionais e internacionais para apresentações e showcookings exclusivos no novo auditório do pavilhão. Para além destes convidados únicos, 10 conceituados chefes e restaurantes da região de Lisboa funcionarão em permanência com uma oferta diversificada de pratos à base de peixes e mariscos.
Este ano, os restaurantes presentes no evento são: Alma (chefe Henrique Sá Pessoa), Arola Penha Longa (chefe Milton Anes), Boi-Cavalo (chefe Hugo Brito), Chapitô à Mesa (chefe Bertílio Gomes) Ibo (chefe João Pedrosa), Kiko Martins (chefe Kiko Martins), Rabo d’Pêxe (chefe Paulo Morais), Ribamar (chefe Hélder Chagas), Ritz Four Seasons Hotel (chefe Pascal Meynard) e Taberna da Rua das Flores (chefe André Magalhães).

O evento conta ainda com uma terceira componente principal - um Mercado Gourmet que também funciona permanentemente entre as 12h e as 24h, apresentando uma grande diversidade de produtos. O Peixe em Lisboa é organizado pela Associação de Turismo Lisboa, com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e produção da DOT Global e LGSP Events.




terça-feira, 28 de março de 2017

Ovos cremosos mexidos com salsichas



Com o inicio da Primavera, a minha capoeira começa a ter fartura de ovos.(de galinha, pata e gança)
Vou aproveitar esta fartura de ovos, para vos aqui deixar algumas sugestões relacionadas a esta proteína riquíssima que muitas vezes é esquecida como um produto alimentar de segunda classe.


Ovos cremosos mexidos com salsichas

3 ovos
4 salsichas (pode substituir por fiambre , bacon etc.) 
Meia chávena (chá) de leite
Queijo q.b. (ralado ou cortado em cubos)
Azeite q.b.
Salsa picada q.b.
Sal q.b.




Frite as salsichas numa frigideira com um fio de azeite ou óleo. Cozinhe em lume brando até alourar. Retire da frigideira, escorra, pique em pedaços pequenos e reserve.
Enquanto as salsichas estão cozinhando bata os ovos com o leite numa tigela.
Verta os ovos na frigideira e vá mexendo. Tempere com sal. Adicione o queijo, continue a mexer, e cozinhe até que os ovos fiquem consistentes. Envolva as salsichas, polvilhe com salsa e sirva de imediato.



sexta-feira, 24 de março de 2017

Leitão assado


Leitão assado aqui em casa é um petisco que normalmente confeciono. Como moro numa zona de criação de porcos, com facilidade adquiro um a um preço relativamente barato em comparação ao dos talhos.
Não gosto daquele leitão muito pequenino que sabe a leite e a carne se desfaz na boca parecendo papa.
Já houve uma época em que criávamos porco e leitão para nossa utilização. Com o correr dos anos (vamos para velhotes) tornou-se cansativo, dispendioso e acabamos.
Normalmente corto o leitão em quatro partes e cozinho-o por quatro vezes. (dá para cortar assim porque não são pequeninos)







Leitão Assado

Leitão q.b.
Banha q.b. 
Alho q.b.
Louro q.b.
Pimenta preta q.b.
Sal q.b.


Junte o alho, louro, a pimenta o sal e a banha e faça uma massa com a ajuda da trituradora. (varinha mágica)
Barre o leitão o leitão umas horas antes de ir ao forno com a massa.
Coloque o leitão numa grelha com a pele virada para baixo e barre o interior com massa feita.
Leve ao forno tendo o cuidado de colocar um tabuleiro com água no fundo do forno para a gordura" pingar" para a água sem provocar fumo e cheiros.
Forno a uma temperatura média.
Quando o Leitão estiver quase assado, coloque este num tabuleiro virando com cuidado para não se queimar e ao mesmo tempo poder aproveitar o molho que está no leitão. Leve novamente ao forno para acabar de assar e acabar de tostar a pele. Pode barrar novamente com a restante massa de tempero.

Depois de assado a seu gosto, corte com a ajuda de uma tesoura de cortar carnes e ossos. Sirva acompanhado a seu gosto.
Eu, normalmente acompanho com batatas fritas às rodelas, salada e laranja.





Nota: tenho fogão de lenha, mas tanto asso o leitão no forno a lenha como no elétrico. Portanto, pode assar o seu leitão em casa facilmente e com o tempo apurará os temperos a seu gosto.










terça-feira, 21 de março de 2017

Arroz misto à minha moda / Mixed rice in my way

Adoro arroz… cozinha-lo dá-me prazer.
Hoje foi um daqueles dias em que não sabia o que cozinhar. Fui à arca ver o que havia e surgiu este arroz.
Como sabem vivo distante de zonas comerciais o que faz com que cozinhe muitas vezes com congelados. Hoje aconteceu.

Arroz misto à minha moda (4 doses)


350g de arroz carolino
1 perna de frango
2 tiras de entremeada de porco
250g de camarão
250g de amêijoas
2 fatias de fiambre
Legumes sortidos q.b.
Pimenta preta a gosto
1 cebola
Alho q.b.
Óleo q.b.
Colorau q.b.
Sal q.b.

Comece por fazer um refogado com o óleo e a cebola. Junte o alho, o frango, a entremeada (estas carnes já devem estar cortadas em bocados) e deixe alourar.
Quando a carne estiver ao seu gosto, adicione a água suficiente para fazer o arroz. (neste caso entre litro e meio a dois litros)
Quando começar a ferver, junte os legumes e deixei ferver mais um pouco para lhes dar uma entaladela.
Quando os legumes estiverem meios cozidos, adicione o arroz, o camarão e o colorau. (os camarões devem estar descongelados e lavados) Tempere com a pimenta e o sal, mexa, tape o tacho e deixe cozer.
Quando o arroz estiver quase cozinhado, junte as amêijoas e o fiambre cortado em tirinhas.
Deixe levantar uma pequena fervura para abrir as amêijoas, desligue o lume.
Ao servir, pode juntar umas azeitonas a seu gosto.


Nota: aconselho a que tenha sempre água quente para se necessário, adicionar no arroz. Tem sempre que levar em conta se o quer mais seco ou malandrinho.





Mixed rice in my way (4 doses)

350g of  “carolino” rice
1 chicken leg
2 slices of bacon
250g of shrimp
250g of mussels
2 of cooked ham slices
Assorted vegetables (as needed)
Black pepper to taste
1 onion
Garlic (as needed)
Oil (as needed)
Paprika (as needed)
Salt ( as needed)



Start by preparing a stew with chopped onion and olive oil, add the garlic, the chicken, bacon (the meat must be cut into separate pieces) and let sear.
When meat is as you wish, add water (as needed)  to prepare rice. (in this case a litre and a half or two litres )
When it starts boiling, add the vegetables and let il boil just  to give a gentle simmering . When vegetables are half cooked, add the rice, the shrimp and the paprika. ( Shrimps must be thawed and washed ) season with pepper and salt, stir, cover the pan and let cook.
When the rice is almost cooked, add  mussels and cooked ham cut in fine slices.
Bring to the boil, until mussels have opened and switch the stove.
In serving, you can add some olives just to taste.


Note: I recommend you always have boiling water whenever you need to add to the rice, taking into account always if you prefer dry or creamy rice ( malandro).