sexta-feira, 13 de julho de 2018

Açorda (migas) de ovas com pão alentejano






Açorda (migas) de ovas com pão alentejano (4 doses)


1 pão alentejano
Ovas de peixe a seu gosto (quantidade que baste)
3 ovos
Alho a gosto
Coentros a seu gosto
Azeite q.b.
Sal q.b.
Pimenta preta a seu gosto

Comece por esfarelar pão alentejano e reservá-lo.
Coza as ovas em água com sal. (há quem adicione na água de cozinhar as ovas uma ou duas rodelas de limão)
Num tacho refogue o alho picado em azeite e adicione o pão e envolva bem no azeite. De seguida, vá juntando aos poucos a água da cozedura, vá mexendo até o pão começar a amassar.
Depois de o pão estar bem húmido, adicione as ovas já esfareladas e sem a pele. Tempere com um pouco de pimenta preta, coentros picados e os ovos.
Envolva bem e acompanhe com uma bela salada.



quarta-feira, 27 de junho de 2018

Biscoitos de Mastro (Sonega/Alentejo)











  
Por vezes dizemos que as tradições fazem parte do passado. Aqui onde moro a tradição do mastro com os seus tradicionais biscoitos estão bem presentes anualmente pelo S. João. Na verdade já moro aqui há mais de vinte anos mas só este ano descobri esta tradição ancestral de origem pagã, que se celebrava em diversos países da Europa e simbolizava a força e a fertilidade masculina.

Aqui nos arredores de Sines a festa do mastro é realizada como pagamento de uma promessa religiosa. Noutros tempos quem mandava fazer e a custeava era alguém com posses económicas. Esta festa é caracterizada pelos biscoitos artesanais chamados de biscoitos do mastro e que são feitos nos dias anteriores à festa nas instalações do patrono e pendurados no mastro antes de ser erguido. Os biscoitos assumem sempre a forma de roscas mas ocasionalmente efetuam-se alguns biscoitos que representam a promessa, ou seja, figuras da pessoa/s ou da situação que suscitou a promessa. No final, os biscoitos são distribuídos gratuitamente pelos participantes da festa, no final e quando o mastro é derrubado.






Aqui perto de onde moro a responsabilidade é da Associação de Moradores do Salão Comunitário da Sonega. No entanto esta festa está espalhada por algumas localidades da região. (Sonega, localiza-se na estrada nacional 120, entre Sines e o Cercal do Alentejo)
Com a cumplicidade de algumas pessoas ligadas à Associação fui assistir à confeção dos biscoitos na Padaria da Dona Ercília nos arredores de Vila Nova de Milfontes onde aproveitei para tirar algumas fotos. No Domingo dei uma saltada até ao arraial e tirei mais umas fotos.
A confeção dos biscoitos varia muito de pessoa para pessoa, como de localidade para localidade. A base é farinha, banha, açúcar, canela e ovos (algumas pessoas não lhe adicionam ovos). Também há quem utilize massa leveda e outras não, assim como erva doce e casca de limão ralada.
Vou-lhes deixar uma receita do meu agrado para os biscoitos:

Biscoitos de mastro

1,150kg de farinha
1dl de água morna
40g de fermento de padeiro
150g de banha (pode substituir por manteiga)
2dl de água misturada com leite (pode ser só água)
2 ovos
Canela, e erva doce moída q.b.
Raspa de limão também a seu gosto

Comece por desfazer o fermento na água morna e misture com 150g de farinha. Amasse e forme uma bola que devera deixar descansar durante pelo menos meia hora.
Entretanto num alguidar coloque a restante farinha, no centro da farinha coloque a farinha com o fermento e vá adicionando e envolvendo com a água misturada com o leite. Junte a canela, erva doce, raspa de limão, a banha derretida os ovos, o açúcar e vá amassando muito bem. A massa fica um pouco mais rija do que a do pão. Forme uma bola, tape com um pano e deixe a levedar. Quando estiver leveda, trabalhe um pouco a massa e retire pequenos bocados que se tendem e fazem enfeitam os biscoitos da maneira que mais gostar.
Deixe que os biscoitos descansem durante uma meia hora, antes de irem ao forno.


Nota: Se gostar, doure os biscoitos com gema de ovo antes de os levar ao forno.  













sexta-feira, 22 de junho de 2018

Banana pão assada no forno





Cozinho frequentemente banana pão. Cozida, frita assada como acompanhamento ou de sobremesa ela é sempre bem vinda na minha mesa.

É sabido que esta banana não se come crua. Pode ser cozinhada verde, madura ou muito madura. Neste caso, cozinha-la no forno para sobremesa tem de estar bem madura. Se não tiver banana terra madura, poderá coze-la com a casca em água e depois leva-la ao forno.

Banana pão assada no forno

Banana pão q.b.
Sumo de laranja q.b.
Açúcar q.b.
Manteiga

Corte a banana ao meio, polvilhe com açúcar, adicione pequenas nozes de manteiga e regue com o sumo de laranja.
Leve ao forno até estar cozinhada a seu gosto.
Pode polvilhar com canela antes de servir se gostar.
Bom apetite.

terça-feira, 19 de junho de 2018

Bolo de limão




Faço muitas vezes esta receita, pois é fácil e fica um bolo saboroso. Normalmente este bolo é confecionado juntando logo de princípio os ovos inteiros sem bater claras em castelo. Quando tenho pressa ou preguiça é isso que faço… Quando quero um bolo mais macio, bato as claras em castelo como explico na receita.
Bom apetite.

Bolo de limão

4 ovos
2 chávenas mal cheias de açúcar
2 chávenas de farinha com fermento
2/3  de chávena de óleo
1 limão grandinho

Comece por bater em castelo as claras e reserve.
Entretanto bata o açúcar com os ovos, sumo do limão e as raspas de limão e o óleo.
Depois de bem batido, comece a adicionar aos poucos a farinha. Como a massa fica muito seca, adicione metade das claras em castelo e bata devagar até ficar uma massa homogénea. Por fim envolva as restantes claras na massa e leve ao forno numa forma untada a uma temperatura de 180º durante mais ou menos 45 minutos. (o tempo varia da qualidade do forno)

Nota: o tamanho deste bolo varia consoante a chávena que utilizar. Se quiser um bolo médio, utilize chávena de chá. Se quiser um bolo maior, utilize almoçadeira.

terça-feira, 22 de maio de 2018

Migas de camarão





É importante perceberem que esta receita é prática e económica. É uma receita que rapidamente se confeciona e nos tira de uma daquelas enrascadas quando de repente aparece alguém sem contarmos…





Migas de camarão (4 doses)




400g de miolo de camarão
4 ou 8 camarões com casca (para enfeitar)
1 ou dois cubos de caldo de camarão
Alho laminado a gosto
400g a 500g de pão (preferência duro)
Coentros a gosto
Azeite q.b.
Sal q.b.
Pimenta preta q.b. (ou outro picante a gosto)
2 ovos



Comece por desfazer o cubo de caldo de camarão em meio litro de água a ferver. Ponha de molho o pão neste caldo para desfazer. Quando o pão estiver desfeito, esprema o pão e reserve, assim como deve reservar o caldo.
Frite o miolo de camarão em azeite e alho assim como o camarão com casca.
Depois de frito o marisco, retire-o e reserve.
Adicione ao azeite de fritar o marisco o pão espremido e desfeito e vá mexendo envolvendo na gordura para tomar o sabor do marisco. Deixe levantar fervura, junte o miolo de camarão salteado, metade dos coentros previamente picados e adicione gradualmente a água fervida do caldo de camarão enquanto mexe, até que o pão comece a ficar mole.
Após ter envolvido tudo, retifique os temperos a seu gosto (sal, pimenta preta etc.) e retire do lume. Coloque as migas num recipiente de barro se possível (pode ser no tacho em que cozinhou ou noutro recipiente), decore com o camarão com casca e polvilhe com os restantes coentros.
Abra os ovos e coloque-os inteiros no preparado. Mexa energeticamente e sirva imediatamente.


Nota: Nesta receita, substituí o camarão por gamboa. Normalmente faço estas migas com o marisco que tiver em casa.

sábado, 19 de maio de 2018

Bolo de iogurte




Esta tarde com a chuva, deu-me vontade de fazer um bolo. Fiz um dos mais conhecidos e simples de sempre mas que sabe muito bem nestes dias de chuva.

Bolo de iogurte

1 iogurte
4 ovos
4 medidas da embalagem de iogurte de açúcar
4 medidas da embalagem de iogurte de farinha com fermento
1 medida da embalagem de iogurte de óleo

Bata os ovos com o açúcar, adicione o iogurte, o óleo e por fim a farinha. Vá batendo sempre até a massa estar pronta para levar ao forno.
Leve ao forno em forma untada (poderá polvilhar com farinha) a uma temperatura de 180º durante mais ou menos uma hora.

terça-feira, 15 de maio de 2018

Favas à minha moda







Favas à minha moda (4 doses)


100g de toucinho
1 chouriço de carne
1 morcela (chouriço preto)
Entrecosto a gosto
Azeite q.b.
1kg de favas descascadas
Sal q.b.
Pimenta preta q.b.
Um ramo de coentros
1 ou 2 hastes de rama verde de alho (facultativo)


Num tacho junte o toucinho cortado em pequenos cubos e o entrecosto cortado em tiras e o chouriço de carne cortado ás rodelas. Adicione as favas, a morcela inteira, os coentros e as hastes de alho (podem ser cortados ou em ramo atado). Tempere com sal, pimenta e regue com um pouco de azeite.
Tape o tacho e leve a lume brando a cozinhar. Vá sacudindo o tacho de vez em quando para não pegarem. Se necessário, durante o cozinhar, adicione um pouquinho de água ou de vinho branco. Depois das favas estarem cozinhadas a seu gosto, corte a morcela em rodelas antes de servir.
Quando servir, se puder acompanhe com salada de alface.
Bom apetite.

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Rissóis de camarão



Foto bay Mário Cerdeira


Com o verão a aproximar-se a passos largos, dá sempre jeito ter uns rissóis à mão para rapidamente ter uma refeição pronta quando regressar da praia.
Rissóis de camarão
Massa para rissóis (32 doses)
500ml de água (ou leite)
Sal q.b.
1 casca de limão
2 colheres  (sopa) de manteiga
500ml de farinha de trigo (sem fermento tip.65)

Leve ao lume num tacho, a água, uma pitada de sal, a casca de limão e a manteiga. Quando levantar fervura, retire a casca de limão e tire do lume o tacho.
Verta de uma só vez, a farinha na água e mexa rapidamente com uma colher de pau para a ligar amassa de modo a não ter grumos.
Leve o tacho novamente ao lume e vá mexendo a massa, até formar uma bola que se despega do fundo do tacho.
Retire do lume, coloque a massa sobre o balcão de cozinha e deixe arrefecer um pouco (para que não se queime).
Com as mãos, amasse (sove) a massa, até que se apresente lisa e elástica sem se colar à banca. (não precisa polvilhar com farinha)
Embrulhe-a em película aderente e deixe-a descansar um pouco sobre o balcão da cozinha.
Separe pequenas porções de massa, estique com o rolo (não precisa de enfarinhar), com uma colher, coloque uma porção de recheio no centro, dobre e corte com um corta-massas ou com um copo. (eu utilizei uma pequena taça de vidro)
A massa de rissóis não deve ficar muito fina nem muito grossa, mais ou menos da grossura de uma moeda de cêntimo.
Quando já tiver os riçóis recheados, passe estes por ovo e pão ralado e frite-os em óleo bem quente até ficarem douradinhos a seu gosto, ou
acondicione em cuvetes, congele e frite mais tarde.
Normalmente quando frito os rissóis numa frigideira, vou regando por cima com óleo da fritura com a ajuda de uma colher.
Esta massa dá para qualquer variedade de rissol.

Recheio para rissóis:

De camarão
300g de camarão com casca (utilize do pequeno)
1 cebola, picada
Alho picado a seu gosto (eu utilizo moído)
2 colheres (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) de azeite
2 colheres (sopa) de farinha de trigo ou amido de milho
2,5dl de leite
Água de cozer os camarões q.b.
Sal q.b.
Pimenta preta q.b.

Comece por cozer os camarões como faz normalmente, e reserva a água da cozedura.
Depois de frios descasque os camarões e coloque as cascas e as cabeças na água onde se cozeu os camarões. Reserve o miolo.
Triture as cascas do camarão em conjunto com a água de o cozer. (utilize o passe-vite ou a trituradora.
Coe o caldo da tritura por um passador ou pano e leve ao lume para reduzir o caldo e intensificar o sabor
Repara que quando arrefecer, o caldo fica com fundo. É esse fundo que dá sabor ao creme.
Reserve a água que fica por cima e adicione o fundo ao leite.
Coloque numa caçarola o azeite, uma colher (sopa) de manteiga e leva ao lume. Frite a farinha nesta gordura e acrescente, gradualmente o leite, (deve estar frio para que o creme não ganhe grumos) e quando acabar o leite, acrescente a água reservada na medida necessária de modo a ficar um creme tipo bechamel. Tempere com sal e pimenta.(há quem goste de juntar um pouco de ketchup par que o creme fique mais rosado. Também há quem junte salsa picada. Eu não gosto de o fazer.)
Entretanto faça um refogado com uma colher (sopa) de manteiga, a cebola, o alho. Quando a cebola estiver transparente, adicione o miolo de camarão e deixa alourar.
Junte o camarão ao creme e envolve bem. Retifique o tempero.
Utilize o creme depois de frio para confecionar os rissóis.
Nota: claro que pode confecionar um outro recheio a seu gosto para os rissóis. Pode utilizar, qualquer variedade de carne ou peixe etc. etc.
Bom apetite

terça-feira, 24 de abril de 2018

Pastéis de massa tenra




Andava com saudades de uns pastéis de massa tenra. Hoje sobrou-me um pouco de carne estufada e não esperei mais. Lá apareceram os pastéis acompanhados de arroz de grelos. Ficaram uma delícia



Pastéis de massa tenra (12 doses)



Para a massa:

250g de farinha
3 colheres (sopa) de óleo
1,5dl de água morna
Sal q.b.

Para o recheio:

300g de carne cozinhada
Um naco de chouriço de carne
1 cebola picada
Alho picado ou seco a seu gosto
Azeite q.b.
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
2 dl de leite
Sal q.b.
Pimenta preta a gosto




Numa tigela, coloque a farinha, abra uma cova ao meio e verta o a água quente e o óleo. Tempere com uma pitada de sal envolva todos os ingredientes e amasse muito bem. Faça uma bola com a massa e cubra com um pano ou com uma tigela e deixe descansar a massa pelo menos durante 30 minutos.
 
Entretanto, triture a carne em conjunto com o chouriço.
Faça um refogado com azeite, alho e cebola picada. Quando a cebola estiver refogada mas não deixe refogar muito, junte a carne picada, mexa e deixe absorver a gordura. 
Polvilhe a carne com farinha e regue com leite, mexendo sempre.
Tempere a seu gosto e deixe cozinhar em lume brando, mexendo até a carne se começar a soltar das paredes e do fundo da vasilha.
Deixe arrefecer.
Está pronto o recheio. (Poderá confecionar um outro recheio a seu gosto)

Com o rolo, estenda a massa bem fina, sobre uma superfície polvilhada de farinha. Distribua o recheio sobre a massa, dobre a massa sobre o recheio e corte os pastéis em retângulo ou meia lua, com a ajuda de uma carretilha.

Frite os pastéis em óleo bem quente até estarem louros. Enquanto frita, vá deitando óleo por cima dos pastéis com uma escumadeira ou colher para que empolem. 

Depois de fritos, escorra-os sobre papel absorvente.

Acompanhe a seu gosto. Eu acompanhei com arroz de grelos.

Nota: Na minha receita, cozi alguns pastéis no forno, para ficarem mais enxutos. Nota-se a diferença nas fotos. No entanto eu gosto mais deles fritos, mas os feitos no forno são mais saudáveis.

Bom apetite



sexta-feira, 20 de abril de 2018

Ervilhas com ovos escalfados e bife de peru




Tem dias em que não sei o que cozinhar. Foi o que me aconteceu há alguns dias em casa da minha filha. Tenho sempre dificuldade em me decidir quando estou na casa de algum dos meus filhotes. (nem sempre gostam do que eu gosto)
Dei uma espreitadela na arca e encontrei ervilhas e bifes de peru…foi o que almoçamos…




Ervilhas com ovos escalfados e bife de peru (duas doses)

500g de ervilhas (utilizei congeladas)
2 ovos
2 bifes de peru
1 cebola
Alho a gosto
1 folha de louro
Azeite q.b.
Polpa de tomate q.b.
Vinho branco q.b. (não obrigatório)
Sal q.b.
Picante a gosto (utilizei pimenta preta)
Coentros migados a gosto (pode utilizar uma outra erva a seu gosto)

Refogue a cebola, o alho em azeite até alourar. Adicione a polpa de tomate e os bifes de peru cortados em cubos e deixe refogar um pouco. Refresque com um pouco de vinho branco, junte as ervilhas e mexa. Quando voltar a ferver, deite água até cobrir as ervilhas, tempere com sal, picante e adicione os coentros o louro, deixe cozer. Quando as ervilhas estiverem quase cozinhadas deite os ovos um a um com cuidado. Tape e deixe escalfar em lume brando até estar apurado a seu gosto.
Antes de servir pode polvilhar com mais coentros se gostar.