domingo, 29 de abril de 2012

Pirão de milho (Angola)




250 g de farinha de milho
1 l de água
Azeite q.b.
Sal (facultativo)

Ferva a água, à qual se junta um pouco de sal a gosto e um fio de azeite.
Entretanto, dissolva a farinha num pouco de água fria.
Adicione a farinha dissolvida à água que ferve e mexa muito bem para não
encaroçar. Se faltar farinha ou água, junte o que estiver em falta, porque as
quantidades variam consoante a qualidade da farinha.
Deixe cozer mexendo sempre e sirva com qualquer prato que tenha molho.
Em Angola, este prato não se tempera com sal, porque, normalmente, acompanha
peixe seco que é salgado.

Já sabia que ?
O milho é um dos alimentos mais nutritivos que existem, contendo quase todos os aminoácidos
conhecidos.
Contém um alto teor de carbo-hidratos, além de ser energético (cada 100 gramas de milho
possuem cerca de 100 calorias).

Possui vitaminas E, A e B1, além de sais minerais (fósforo, cálcio e potássio).



9 comentários:

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Muito bom, para acompanhar um Sarapatel, uma Galinha à Cabidela e tantos outros com molho. Aqui, o pirão é com farinha de mandioca...sendo com fubá de milho, tem o nome de Polenta:"são variações sobre um mesmo tema".
Obrigada, por tantas gostosuras!

Um abraço,
da lúcia

Conceição Santos disse...

Olá!...

Em Angola, também há quem chame pirão quando é feito com farinha de mandioca.
Mas o nome original, (quando com farinha de mandioca) é funge.
No entanto eu continuo a afirmar que a culinária não é uma ciência exacta e os produtos entrelaçam-se na culinária de todos os países.
Um abraço.
Conceição santos

Antonio Batalha disse...

Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom. África é como uma semente que ficou nos nossos corações,e que cresce a saudade. Li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
PS. Se desejar seguir o meu blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

Conceição Santos disse...

Tenho de começar por lhe pedir desculpa de só agora lhe responder.
Meu caro António Batalha, fico sempre muito feliz por conhecer quem traz África no coração e que gosta daquilo que eu também amo...
Um intééé...
Conceição Santos

Ana disse...

Boa tarde,

Estava por acaso pequisando na net sobre pirão e encontrei este post, que gostei muito. De facto a minha mãe era angolana e eu e o meus irmãos fomos criados com o pirão (feito com farinha de milho e água, sem sal) fazendo parte da nossa alimentação, como acompanhamento de pratos com molho. Havia também uma variação que, se fazia lá em casa, e que nunca ouvi falar que se fizesse noutro local: uma porção de pirão era partida em pedacinhos e colocada num parto com 1 iogurte natural e igual quantidade de leite frio, comia-se apenas assim... acaba por ser uma refeição leve e diferente do habitual. A minha curiosidade é qual será a origem deste prato. Já alguém ouviu falar?

Conceição Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Conceição Santos disse...

Não conheço esse prato, mas penso que se deve basear na culinária do norte de África. No norte de África é normal a utilização de iogurte frequentemente na alimentação.
Abraços

Rita disse...

Olá, passei pela net e por a caso descobri este blog. Gostei muito de saber que tem pessoas de fora de África que gostam. Cá em Moçambique é praticamente a base da alimentação de muitas família e chama se chima. É muito bom com qualquer molho. Rita lima

Conceição Santos disse...

Olá Rita...
Eu vivi Alguns anos em Angola e era e também continua a ser a base da alimentação deste povo.
Quando eu era miúda e vivia em Portugal, este prato também fez parte da minha alimentação, principalmente de manhã. A farinha de milho era desfeita em leite com um pouco de açúcar, ia ao lume e lá estava o meu pequeno almoço. No entanto também era frequente ser cozinhado com água e sal, por vezes misturado couves etc. nas casas mais pobres. A isto dá-se o nome de papas.
Tenho um livro que se chama "Sabores de África" em que dediquei um capitulo a Moçambique, claro que não me esqueci da chima...
Sei que o meu livro se encontra á venda aí em Moçambique. Eu sou a autora e é uma edição da Porto Editora.
Um grande abraço.